A agência de defesa sanitária agrosilvopastoril do estado de Rondônia (Idaron) comemora o alcance o status de excelência em 2019 e, com o anúncio da suspensão da vacina contra a Febre Aftosa, garantiu ao agronegócio rondoniense condições indispensáveis para que o produtor da região possa disputar grandes mercados internacionais.

Este ano foi um período de grandes conquistas para o agronegócio de Rondônia”, destacou o presidente da Idaron, Júluio Cesar Rocha Peres, ao fazer um balanço das ações da Agência nesses últimos 12 meses. “Rondônia não vacinará mais contra a Febre Aftosa. Não poderia avaliar melhor o trabalho desenvolvido pela equipe da Idaron. Esse status de livre da Febre Aftosa sem vacinação só é possível porque o produtor entendeu nosso trabalho e colabora em todas as ações desenvolvidas pelo Estado, mérito também dos servidores dessa autarquia, que trabalham com seriedade e afinco”, salientou.

O comentário de Júlio Cesar faz referência à decisão do governador coronel Marcos Rocha que decidiu pela suspensão da vacina contra a Aftosa. “O status de área livre de aftosa sem vacinação representa um grande passo para o salto qualitativo da produção agropecuária do Estado, mas não encerra em si as medidas que devem ser adotadas para que a produção de Rondônia alcance mercados mais rentáveis. 

Sem a vacinação, passamos a contar ainda mais com o apoio do produtor, uma vez que a declaração do rebanho, junto à Idaron, passa a ser um dos principais pilares dessa nova fase”, explica o presidente da autarquia.

Júlio Cesar destaca também as ações desenvolvidas na área vegetal, como o controle de mudas, viveiros, insumos e defensivos agrícolas, para que a lavoura rondoniense também alcance qualidade de excelência, status que já vem sendo alcançado pelos cafeicultores que, em competição nacional, este ano ganharam dois importantes prêmios.

O trabalho desenvolvido pela Idaron, para garantir uma produção de qualidade, tem sido destaque em publicações regionais e nacionais. “Mérito dos servidores da autarquia que acompanham de perto o setor produtivo, com inspeções desde o início da criação ou plantação até o processo de beneficiamento ou abate para distribuição no mercado consumidor”, explica Júlio Cesar, em alusão às atividades de inspeção em frigoríficos e laticínios.

2019 também foi marcado por investimentos. Este ano o governo do Estado fez a entrega de 25 caminhonetes leves, cinco conjuntos de barcos a motor e de vários equipamentos de tecnologia com vistas a fortalecer o serviço de fiscalização e monitoramento que é realizado em todo o estado pela Idaron.

Em Porto Velho, a Idaron reformou o posto fiscal localizado na divisa de Rondônia com o estado do Amazonas. No total são cera de R$ 20 milhões empregados para atender as medidas de biossegurança previstas no Plano Estratégico do PNEFA (Programa Nacional de Erradicação de Febre Aftosa).