Servidores participam de congresso que discute investimentos de recursos da Previdência

0
35

Servidores da Prefeitura de Paranaguá participam do 2.º Congresso Brasileiro de Investimentos do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS), que começou na quarta-feira (11) e segue até sexta-feira (13), em Florianópolis (SC). O evento é uma promoção da Associação Brasileira de Instituições de Previdência Estaduais e Municipais (Abipem).

Integram a comitiva a presidente do instituto Paranaguá Previdência, Adriana Maia Albini, o secretário municipal de Fazenda, Maurício Coutinho, e os funcionários Janete Isabel Passos (presidente do Sindicato dos Servidores Municipais), Zenilda Cruz, Adriana Rodrigues, Jussimara Fanini, Henrique Furuta e Sidnei França.

O evento visa proporcionar aos gestores, conselheiros e investidores dos institutos de Previdência conhecimentos e adequação à nova legislação e mudanças do setor, para que sejam tomadas as melhores decisões, de acordo com Adriana Albini. “É importante a gente se qualificar cada vez mais, para que estejamos preparados uma vez que nosso patrimônio está aumentando. Temos que cuidar certo para que aumente ainda mais”, comenta Adriana Albini, que lembrou que a autarquia realiza com frequência treinamento aos conselheiros e demais servidores interessados.

Janete Isabel Passos também destacou a importância do conhecimento aos servidores para cuidar bem do patrimônio acumulado no Paranaguá Previdência. “Principalmente nesse momento, em que a economia mundial passa por essa turbulência, instabilidade e insegurança. Para o cenário de hoje temos que estar preparados. É interessante também trocarmos conhecimentos e experiências com institutos de outros estados e municípios”, destacou a servidora.

Para Maurício dos Prazeres Coutinho, que é secretário municipal de Fazenda, “todo treinamento e qualificação sempre são bem-vindos”. “Nosso resultado atuarial de 2019 é bastante satisfatório e batemos meta com folga, mas entramos num ano bastante complicado quando se fala em investimentos, com quadro de crise gerado pelo corona vírus e nossa economia sofrendo bastante, principalmente na parte cambial, com dólar em alta”, completou o servidor.