França restringe encontros em locais públicos, adia segundo turno de eleições locais e suspende reforma da previdência

Presidente Emmanuel Macron proibiu encontros entre parentes e amigos em locais públicos para combater pandemia do novo coronavírus. Governo também proíbe viagens e suspende pagamento de contas de luz, eletricidade e aluguel.

0
40

O presidente francês, Emmanuel Macron, endureceu nesta segunda-feira (16) as medidas para conter a transmissão do novo coronavírus no país. A França registrou 148 mortes pela Covid-19, segundo balanço mais recente.

Veja abaixo as principais medidas tomadas pelo governo francês

  • Proibição de reuniões públicas nas ruas e parques entre amigos e familiares a partir de terça-feira (17)
  • Suspensão de viagens por 30 dias — franceses em outros países poderão retornar
  • Suspensão do segundo turno das eleições locais, que ocorreriam no próximo do domingo
  • Suspensão das contas de luz, gaz e aluguéis
  • Reformas em curso ficarão suspensas, inclusive a reforma da Previdência
Uma mulher utilizando uma máscara de proteção caminha perto do Arco do Triunfo, em Paris, na França, neste domingo (15) — Foto: Gonzalo Fuentes/Reuters

Uma mulher utilizando uma máscara de proteção caminha perto do Arco do Triunfo, em Paris, na França, neste domingo (15) — Foto: Gonzalo Fuentes/Reuters

Macron também disse que as fronteiras da Zona Schengen — grupo de 26 países com livre circulação de pessoas na Europa — ficarão fechadas. Mais cedo, a União Europeia havia proposto a proibição de viagens não essenciais entre os países do bloco por 30 dias.

Além disso, a circulação de pessoas fica restrita nas seguintes condições:

  • Para ir às compras, desde que respeitada a restrição de um metro de distância
  • Para ir a hospitais ou clínicas
  • Para ir ao trabalho, quando não for possível trabalhar de casa

“Nós estamos em guerra”, repetiu Macron, em discurso.

Na semana passada, Macron já havia ordenado o fechamento de escolas e universidades na França por causa do novo coronavírus “até segunda ordem”. As unidades de ensino pararam de funcionar nesta segunda-feira.

No domingo, a França passou pelo primeiro turno das eleições municipais — integrantes do governo cogitaram adiar a votação, mas Macron decidiu manter a data. No entanto, a abstenção passou de 50%.

Homem usa máscara para votar no primeiro turno das eleições municipais em Paris, na França, neste domingo (15)  — Foto: Gonzalo Fuentes/ Reuters

Homem usa máscara para votar no primeiro turno das eleições municipais em Paris, na França, neste domingo (15) — Foto: Gonzalo Fuentes/ Reuters

Macron critica reuniões em parques

Durante o discurso transmitido pela televisão, Macron pediu que ninguém entrasse em pânico, mas criticou os franceses que saíram as ruas durante o fim de semana. “Pudemos ver as pessoas nos bares e nos parques”, disse o presidente francês.

“A todos aqueles que enfrentaram as recomendações, eu quero dizer: vocês não estão se protegendo nem protegendo os outros”, criticou.

Macron ainda prometeu o investimento de 300 bilhões de euros para que “nenhum francês fique sem recursos”.