A Prefeitura de Curitiba e o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) seguem com estudos para dotar a cidade de novas ferramentas de suporte ao ordenamento urbano, nos campos da mobilidade e inovação, mesmo em tempo de isolamento social para a prevenção e controle do novo coronavírus. 

Na sexta-feira (3/4), uma videoconferência reuniu a diretora de Informações do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Liana Vallicelli, professores e alunos do MIT para dar sequência a trabalhos já iniciados entre o município e a instituição. Todos atuaram em home-office entre Curitiba e Boston.

“Participaram da videoconferência três professores e sete alunos, que puderam apresentar os estudos em fase inicial”, explicou Liana. 

De parte do Senseable City Lab participaram da videoconferência os professores Fabio Duarte, Ricardo Álvarez e Tom Benson. E os alunos Romy El Sayah, Saeb Ali Khan, Ous Abou Ras, Viviana Wei, Xuxuan Lei, Haoming Fu e Fei Xiong.

Do Ippuc, além de Liana Vallicelli, também acompanharam a transmissão, o coordenador de Pesquisa e Sistemas de Informação do Instituto, Oscar Schmeiske, a coordenadora de Mobilidade e Transporte, Olga Prestes, a assessora financeira Ana Jayme e a coordenadora do Plano Setorial de Mudanças Climáticas, Gisele Medeiros.

5Sugestões

Nas apresentações e debates, que duraram três horas, os representantes da academia e técnicos em gestão urbana também abordaram ações possíveis ante a realidade de pandemia. 

Uma das sugestões apresentadas por uma estudante chinesa de pós-graduação do Senseable City Lab foi a da utilização de estações-tubo como unidades para a desinfecção e medição das condições de temperatura dos usuários. Seriam endereços que possibilitariam a amostragem da situação da saúde pública. 

Outra proposta, apresentada por um estudante árabe, é a de uma ferramenta alternativa para a indução ao uso do transporte público. A sugestão é a da oferta de uma espécie de bônus para descontos em teatros, cinemas e outras áreas, a quem utilizar o transporte público. A chamada “gamificação” do sistema é uma possibilidade de atração aos jovens, por exemplo. Outros estudos vinculados à mobilidade apresentados na videoconferência abordaram sistemas de controle de criminalidade no trajeto entre parada de ônibus e a chegada em casa; a utilização do sistema de transporte para acesso a alimentos saudáveis e o uso de estações tubo e terminais para a interação com as pessoas por meio da tecnologia.

4Convênio com o MIT

Para esta semana está prevista outra videoconferência na qual serão apresentados mais detalhes da Rede Integrada de Transporte de Curitiba, pela coordenadora de Mobilidade e Transporte do Ippuc, Olga Prestes.

Em setembro do ano passado foi iniciada a parte prática do convênio entre Curitiba e o MIT, em evento no Ippuc que contou com palestra do professor Ricardo Álvarez, pesquisador no SCL e doutorando do MIT em sistemas de infraestrutura urbana com Inteligência Artificial (I.A.) e a participação de técnicos da Prefeitura e professores da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Universidade Federal Tecnológica do Paraná (UTFPR), Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e Universidade Positivo (UP).

Em 2018, o arquiteto e diretor do Senseable City Lab (SCL) do Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT), Carlo Ratti, fez palestra na abertura do Smart City Expo.

2Curtir isso:

1Relacionado