O SUTIL ENGANO DA SERPENTE

0
64

Mas receio que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia, assim também seja corrompida a vossa mente e se aparte da simplicidade e pureza devidas a Cristo. 2 Coríntios 11:3.

Frequentemente entramos em guerras contra Satanás acreditando, de forma equivocada, ser ele um inimigo invencível; esquecendo, todavia, que na cruz de Cristo, ele perdeu todo seu poder sobre as nossas vidas.

Não há dúvidas de que estamos vivendo os dias que antecedem a volta do Senhor, os quais, segundo a Bíblia, seriam caracterizados por intensa atividade do maligno. Um dos maiores ataques que o inimigo tem empreendido se dá contra a proclamação genuína da obra de Cristo na cruz. O desejo de Satanás é que as pessoas não conheçam a verdade do Evangelho – a nossa crucificação com Cristo.

Satanás tem investido nos púlpitos das igrejas mundo afora, trabalhando para que os pregadores anunciem, não o Evangelho, mas um falso, que agrade aos ouvidos cobiçosos das pessoas que estão mortas em seus delitos e pecados, conforme previsto nas Escrituras: Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas. 2 Timóteo 3:3-4.

Ainda na época do profeta Isaías já havia muitas pessoas dentre o povo de Israel que, em detrimento da Lei do Senhor, preferiam dar ouvidos à lisonjas enganosas para sua própria satisfação egoísta e terrena. Um homem que age assim diante da Palavra de Deus está, em outras palavras, negligenciando a sua própria salvação; anuindo assim com sua condenação eterna.

Todo cristão genuíno vive uma grande batalha constante, que acontece dentro de sua mente, cujo protagonista é o diabo. Pauloescreveuaos Coríntios demonstrando um receio de quea serpente, o diabo, de alguma forma estava enganando aqueles irmãos da mesma maneira que o tinha feito com Eva no jardim. De fato, nós, os crentes, corremos o risco de ser enganados por Satanás; que usa como campo de atuação a nossa mente.

Semelhantemente, o apóstolo Pedro nos adverte: Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar. 1 Pedro 5:8. Quando não andamos sóbrios e vigilantes, revestindo-nos de toda a armadura de Deus, tornamo-nos suscetíveis aos ataques do maligno. Precisamos estar cientes e preparados para esses ataques, que podem acontecer a qualquer momento.

Jessie Penn-Lewis, em seu livro Guerra contra os Santos, afirma: “Há uma guerra se desenvolvendo, implacável, sórdida, dissimulada e invisível, mas muito real. De um lado, Satanás e seus exércitos enganadores; do outro lado, os Santos, o povo de Deus. Lamentavelmente, muitos destes nem mesmo sabem que essa guerra existe”.

A igreja vive hoje uma letargia e uma soberba de coração tão profundas que, se não fora Deus “chacoalhar a roseira” para despertá-la, não sairia dessa situação. Creio que esse momento de pandemia tem sido usado por Deus para, de alguma forma, nos tirar desse estado de morbidez e nos despertar para a busca por santidade.

A palavra de Deus afirma que as pessoas estão padecendo por falta de conhecimento (Os 4.6), e falta desse conhecimento poderia ser considerada sob dois pontos de vista: Primeiramente, diz respeito ao povo padecerpor não conhecer a verdade sobre a sua atração, morte e ressurreição em Cristo Jesus. Em segundo lugar, falta-lhe também o entendimento de que o nosso adversário está em atividade constante sobre nossas vidas, mesmo tendo nós sido regenerados.

Paulo procurar lembraraos irmãos de Corinto sobre a importância desse assunto: para que Satanás não alcance vantagem sobre nós, pois não lhe ignoramos os desígnios. 2 Coríntios 2:11. A palavra desígnios, no texto original grego (noema), significa pensamentos ou propósitos. Nosso inimigo sempre nos ataca na esfera da mente. Por isso, precisamos estar de sobreaviso e bem preparados para que, quando ele vier, não nos apanhe desprevenidos ou despreparados.

Devemos ter em mente que a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. Efésios 6:12.

Para nos defendermos de todo ataque do inimigo, que é espiritual, somente as armas também espirituais podem auxiliar. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulandonós sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo. 2 Coríntios 10:4-5. Nenhuma arma que seja carnal nos será de alguma utilidade nessa batalha.

No capítulo 4 do Evangelho de Mateus, vemos o nosso Senhor Jesus Cristo nos dando um exemplo claro de como vencer Satanás nas terríveis batalhas espirituais que ele levanta contra nós. No relato da tentação de Jesus, nós percebemos que, em todas as investidas da serpente contra o Senhor, Ele a derrotou utilizando exclusivamente a Palavra de Deus e o poder nela contido. O Senhor Jesus, nosso modelo, disse repetidamente ao diabo: “Está escrito”, “está escrito”, e “também está escrito”. Por isso, sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Tiago 4.7

O inimigo de nossas almas, contra quem lutamos hoje, infelizmente ainda subsiste e é uma infeliz realidade em nossas vidas. Ele é sobremodo maligno e nós não lhe ignoramos os desígnios. Contudo, nós, os filhos de Deus, devemos nos lembrar diariamente que Satanás já foi derrotado na cruz do calvário pelonosso Senhor que, aniquilando o seu domínio maligno sobre nós, ainda nos concedeu poderes celestiais para podermos enfrentar todas as suas investidas, conforme Sua promessa: Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados. Marcos 16:17-18. Todos que creem podem ter acesso a essa e outras promessas contidas na palavra de Deus.

Após a queda, toda raça humana tornou-se refém do diabo. Por conta do pecado original de Adão nos tornamos filhos da ira, conforme as palavras do próprio Senhor Jesus: Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira. João: 8:44.

O diabo é o pai da mentira e, pelo fato de todos nós termos nascido em pecado, proferindo mentiras (Sl 58.3), concluímos que a dura realidade é que somos, por natureza, seus filhos. Aquele que pratica o pecado procede do diabo, porque o diabo vive pecando desde o princípio. 1 João 3:8a.

Certamente não é fácil encararmos essa verdade, todavia não há como fugir dela;mas, louvado seja Deus, porque: Para isto se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo. 1 João 3:8b. Graças à sua obra consumada na cruz, obtemos vitória sobre as obras das trevas.

Só existe um meio de nos vermos livres dessa terrível filiação do diabo, que é inerente a todos os homens; e esse meio é Cristo, o Filho de Deus, habitando em nós. E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho. Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida. 1 João 5:11-12.

Para que o inimigo de nossas almas perdesse o domínio sobre nós, Cristo, o filho de Deus, precisou descer a esse mundo, morrer na cruz e ressuscitar. Na Sua morte nós fomos incluídos, e, após a Sua ressurreição, tendo nós também ressuscitado juntamente com Ele, Cristo passou a habitar em nós. Antes de ir para a cruz, Jesus afirmou: E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo. João 12:32. Podemos não compreender intelectualmente a nossa atração em Cristo, mas, pela fé, podemos crer, como o apóstolo Paulo creu: Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim. Gálatas 2.20a

De fato, conforme afirma a Palavra de Deus, nós éramos, por natureza, filhos da ira (diabo), como também os demais. Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo. Efésios 2.3b-5. Graças a esse Evangelho, podemos prosseguir nesse mundo tendo Cristo vivendo em nós. Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos. Romanos 6:8.

Contudo, mesmo tendo o Senhor habitando em nós, ainda assim passamos por lutas, batalhas e guerras contínuas. Portanto, é necessário aprendermos a olhar firmemente para o Senhor, crendo que, Nele, somos mais que vencedores. Na cruz do calvário, o nosso Senhor levou à execração pública todo principado e potestade, garantindo-nos vitória absoluta sobre o império das trevas. Tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz; e, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz. Colossenses 2:14-15 .

A verdadeira vida cristã não é pesada; ela tem lutas sim, que não são poucas; apesar disso, não é uma vida pesada. Nosso Senhor já carregou todo peso sobre a cruz. Que o Pai, mediante o Seu Espírito, nos abra os olhos do entendimento, de modo que sejamos vigilantes até o retorno do Seu Filho amado!

Amém.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui