Coronavírus: por que a China quer testar toda a população de cidade de 9 milhões de habitantes para Covid-19

Decisão foi tomada depois que Qingdao registrou 12 novos casos confirmados ligados a um hospital local.

0
52

A cidade chinesa de Qingdao está testando toda a sua população de 9 milhões de pessoas para a Covid-19 em um período de cinco dias.

A testagem em massa ocorre após a descoberta de uma dúzia de casos ligados a um hospital que trata de pacientes com coronavírus vindos do exterior.

A medida não é inédita. Em maio, a China testou toda a população da cidade de Wuhan — 11 milhões de pessoas, epicentro da pandemia global.

O país conseguiu controlar o vírus, diferentemente de outras partes do mundo, onde ainda há um grande número de casos e restrições de circulação de graus variados.

Em um comunicado publicado na rede social chinesa Weibo, a Comissão Municipal de Saúde de Qingdao disse que seis novos casos e seis assintomáticos foram descobertos.

Todos os casos estavam ligados ao mesmo hospital, disse o jornal chinês Global Times.

As autoridades chinesas agora têm uma estratégia de testagem em massa, mesmo quando um novo aglomerado de coronavírus parece ser relativamente menor.

Como a testagem em massa ocorrerá?

A Comissão Nacional de Saúde afirmou nesta segunda-feira que “toda a cidade será testada em cinco dias”.

Cerca de 114.862 pessoas — incluindo equipes médicas e pacientes recém-hospitalizados nos hospitais da cidade — já tiveram resultado negativo, informou a comissão de saúde de Qingdao.

Segundo o Global Times, vídeos postados nas redes sociais mostraram moradores fazendo fila no fim de domingo para realizar o teste.

Alguns dos locais de testagem locais funcionaram de 7h às 23h, acrescentou o jornal.

Os novos casos ocorrem uma semana após o feriado da Semana Dourada da China — durante o qual milhões de pessoas viajaram pelo país.

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é 8915453_x2405-1.jpg
Chineses aproveitam o primeiro grande feriado nacional desde o começo da pandemia da Covid

‘Feriadão’

Uma reportagem do Global Times citando o Escritório Municipal de Cultura e Turismo de Qingdao disse que a cidade costeira recebeu 4,47 milhões de turistas neste período.

A cidade vizinha de Jinan, na mesma província de Qingdao, convocou qualquer pessoa que visitou a cidade desde 23 de setembro para fazer o teste, de acordo com um relatório do site de notícias chinês The Paper.

No início do mês passado, Qingdao anunciou que dois trabalhadores portuários que lidavam com frutos do mar importados tinham testado positivo para a Covid-19. Eles não teriam infectado ninguém.

As infecções diárias por coronavírus caíram drasticamente na China e o país parece ter se recuperado do pior.

A China já registrou mais de 90 mil casos do coronavírus, com quase 4,8 mil mortes, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Testagem em Wuhan

A China disse que 11 milhões de pessoas em Wuhan foram testadas em 10 dias no início deste ano.

Cálculos feitos pelo Reality Check, departamento da BBC especializado em checar fake news, indicaram que o número estava perto de 9 milhões — ainda assim, significativo.

Centenas de centros de testes foram abertos, com milhares de funcionários envolvidos.

O governo também mobilizou equipes para testar pessoas com deficiência, idosos e vulneráveis em suas próprias casas.

Uma das maneiras de acelerar o processo foi usar testes individuais ou agrupados (pool de amostras).

Nesse processo, um lote de cinco a 10 amostras foi testado. Se o resultado de uma amostra fosse positivo, a equipe voltaria para realizar testes individuais para descobrir qual pessoa estava infectada com o coronavírus dentro do lote.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui