Justiça pede afastamento de diretor e agentes por suspeita de tortura contra presos, em Presídio de Ariquemes

As denúncias foram através do Ministério Público após apuração.

0
34

A Justiça de Ariquemes (RO), no Vale do Jamari, determinou o afastamento de seis servidores do presídio do município pela suspeita de tortura contra apenados. Os afastados são o diretor da unidade e policiais penais, ambos suspeitos de torturarem presos.

A denúncia à Justiça contra os agentes foi oferecida pelo Ministério Público Estadual (MP-RO) e aceita neste fim de semana pela 3ª Vara Criminal da cidade.

No documento consta que, após frustrarem a fuga de detentos, os servidores praticaram “de modo contínuo e sistemático” vários abusos contra cinco apenados, sendo que um deles foi atingido por disparo de arma de fogo. Agressões físicas, cruéis e degradantes teriam sido usadas como forma de castigar e obter declarações.

O MP concluiu que há “fortíssimos indícios” de que o ambiente do Centro de Ressocialização é extremamente violento com grande despreparo dos agentes. Por isso, a promotoria pediu o afastamento dos servidores, pois entendeu que a permanência deles na atividade prejudicaria a ordem pública e a instrução criminal.

O juízo da 3ª Vara Criminal determinou que os policiais penais denunciados não frequentem o presídio, nem mantenham contato com vítimas ou testemunhas do caso. Os servidores foram denunciados pelos crimes de crimes de tortura, lesão corporal e maus tratos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui