Moraes pede que PGR se manifeste após Bolsonaro desistir de depor

Ministro do STF também determinou a prorrogação por mais 60 dias do inquérito que apura acusação de interferência na Polícia Federal

0
57

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, pediu nesta sexta-feira (27) que o procurador-geral da República, Augusto Aras, se manifeste sobre a desistência do presidente Jair Bolsonaro em prestar depoimento no caso sobre suposta influência na Polícia Federal.

Além disso, Moraes determinou a prorrogação por mais 60 dias do inquérito que apura acusação de interferência na PF feita pelo ex-ministro Sergio Moro, após sua saída da pasta. 

Em documento enviado nesta quinta-feira (26) ao ministro, a AGU (Advocacia-Geral da União) informou que o presidente não irá mais depor presencialmente e pediu que o inquérito fosse encaminhado à PF para elaboração de relatório final.

Em despacho divulgado, Moraes pede que Aras opine sobre a necessidade do depoimento de Bolsonaro para as investigações. A manifestação deverá ser encaminhada em até cinco dias. 

Moraes é o relator da investigação desde a aposentadoria do ministro Celso de Mello, que conduziu o processo até setembro deste ano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui