Após ser alvo de operação da PF presidente da Funasa é exonerado

Ronaldo foi ministro do trabalho de Temer. Governo citar demissão a pedido.

0
5

 Ronaldo Nogueira  foi exonerado pela função de presidente da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), a publicação sobre exoneração foi hoje quarta-feira (12) do “Diário Oficial da União” (DOU) e assinada pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Segundo a publicação, a demissão foi a “pedido” de Nogueira.

O ex-presidente da Funasa, é filiado ao PTB, e trabalhou no governo de Michel Temer, que na época era ministro. Nogueira foi alvo de busca e apreensão na Operação Gaveteiro, deflagrada pela Polícia Federal na semana passada para investigar a suspeita de desvio de R$ 50 milhões no antigo Ministério do Trabalho.

Segundo a PF, as irregularidades ocorreram de 2016 a 2018. Nogueira foi alvo de busca e apreensão.

Nogueira assumiu a Funasa em fevereiro de 2019, após encerrar o mandato de deputado federal pelo Rio Grande do Sul. Na Câmara, ele fazia parte da bancada evangélica. O ex-parlamentar tentou a reeleição em 2018, porém ficou entre os suplentes de sua coligação.

Em nota publicada na terça-feira (11) no site da Funasa, Nogueira informou que “tomou a decisão individual” de pedir demissão por “entender ser o melhor a ser feito no momento”, já que terá “mais tempo” para se defender.

Nogueira também afirmou ter “absoluta convicção” de sua “inocência” em relação às suspeitas levantadas nas investigações.