Quarentena diminui fluxo de pacientes no João Paulo II e corredores ficam vazios em RO

Segundo a Sesau, queda aconteceu porque procedimento da entrada do paciente no hospital tem sido respeitada por unidades, em Porto Velho.

0
4
João Paulo II em Porto Velho Rondônia — Foto: arquivo pessoal

O fluxo de pacientes dentro do Hospital João Paulo II caiu em Porto Velho nos últimos dias, por causa da pandemia do novo coronavírus. Os corredores, acentos da sala de espera e alas médicas estão vazias, nem parecendo ser o hospital mais movimentado de Rondônia.

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) informou que o número de atendimentos do hospital reduziu devido à quarentena durante a pandemia.

A Sesau explicou que essa queda nos atendimentos do JPII aconteceu porque o procedimento da entrada do paciente no hospital tem sido respeitado. Ou seja, a primeira atenção do paciente tem sido buscar atendimento na Unidade Básica de Saúde (UBS) ou na Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Caso exista algo mais grave, segundo a secretaria, esse paciente recebe um encaminhamento ao João Paulo II.

No entanto, o procedimento antes da quarentena era mais difícil de acontecer, segundo a Sesau. Isso porque, na maioria dos casos, as unidades não conseguiam comportar o número de pacientes e os enviavam direto para o JPII, causando a superlotação no local.

JPII não é referência para paciente com Covid-19

Rondônia tem 585 casos notificados de novo coronavírus, conforme balanço da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) publicado na quarta-feira (25). Até o momento, o estado contabiliza cinco casos confirmados para Covid-19 e outros 166 foram descartados.

A Sesau destacou ainda que o João Paulo II não é uma referência para receber pacientes com a Covid-19 (novo coronavírus).

A secretaria destacou que, no plano de contingência, as referências do estado são o Cemetron, tendo a Ami como retaguarda e o Cosme e Damião para crianças. Ressalta ainda que essas unidades já têm áreas de isolamento preparadas e, no momento, não há ninguém internado com a doença.