‘Tiraram o Lula da cadeia para ser eleito na fraude’, diz Bolsonaro

Presidente fala em "fraude escancarada" no modelo eleitoral e disse que três ministros do STF são contra o "voto auditável"

0
1

O presidente Jair Bolsonaro saiu novamente em defesa do voto impresso na manhã desta quinta-feira (1º) e ressaltou que existe uma “fraude escancarada” no modelo eleitoral atual. “Tiraram o Lula da cadeia e tornaram elegível para ele ser presidente na fraude”, afirmou Bolsonaro em conversa com apoiadores.

Cabe ressaltar que, desde a adoção da urna eletrônica em todo o território nacional, em 2000, Bolsonaro foi eleito quatro vezes deputado federal (2002, 2006, 2010 e 2014) e alcançou a presidência no segundo turno das eleições de 2018, com 55,2 milhões de votos. Ele já afirmou ter provas de que o pleito foi fraudado, mas nunca as apresentou.

Na conversa, ele ainda disse existir uma movimentação de três ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) contra a adoção do voto impresso. “Se não tiver, eles vão ter que inventar uma outra maneira de termos eleições confiáveis, com a contagem pública dos votos”, disse Bolsonaro.

Para o presidente, os ministros contra a adoção do voto impresso estão preocupados com a judicialização do tema e o que ele defende é a “expressão da democracia” e a “transparência”. “Não adianta vir com argumentozinho de que é muito caro, porque dinheiro tem. Já está arranjado o dinheiro para comprar as impressoras, porque queremos eleições limpas no ano que vem”.

Ele afirma que a manifestação a favor do voto impresso é uma antecipação para evitar problemas no pleito do ano que vem. Como está aí a fraude está escancarada, não só para presidente, mas para deputados e senadores também”, apontou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui